Projeção Astral. Parte ll

A busca.

O tempo foi passando e a sensação de deperecimento aliviando um pouco, paralelamente as corridas intermitentes e malucas como diziam, passei a procurar em livros e nos canais de mídias tudo o que era relacionados com auto ajuda: neurociência, física quântica, poder do subconsciente, a força da atração mental, projeção astral, terceiro olho através da glândula pineal conforme as tradições esotéricas, força dos astros ou metafisica, cartomancia através da leitura das cartas, bruxaria ou feitiçaria com utilização de seus manuais, magia negra através do manejo de forças sobrenaturais com ajuda do livro de São Cipriano de Antioquia e a oração da Capa Preta, trabalhos de quimbanda através de suas entidade entres eles Exu e Pomba Gira, todas essas práticas, pelos mistérios que envolvem ajudam e distraem a mente aliviando as tensões. Buscava tudo, tudo que fosse capaz de influenciar positivamente o reatamento daquele relacionamento sem a necessidade de uma interação normal, pois o orgulho e também por conhecer bem a pessoa, que apesar de ainda afirmar que me amava, ser do tipo extremamente racional, onde a razão está bem, bem mais acima que amor, prezando muito mais por segurança do que sentimentalismos, então esse meu propósito foi essencial para que eu não desistisse facilmente dos esforços empreendidos na buscas por poderes extra sensoriais ou paranormais como definem alguns. Entre tantos praticados e todos com suas eficiências se levados à exaustão, acabei pelo comodismo me dedicando mais a técnica da projeção astral.



1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo