Poeira estelar. O chupa-cabras.

Atualizado: 25 de mai.


Estava muito apreensivo com esse meu retorno para a capital principalmente porque já começavam aparecer também pseud. caçadores de fenômenos extraterrestres na região, sempre que meu ajudante não estava presente eu molhava a areia para diminuir a temperatura.

Em casa passava todo o tempo acordado na internet tentando algum contato com um possível potencial comprador, comecei também procurar contatos de colunistas de revistas e jornais direcionados a essa classe de milionários pois o contato parecia mais acessível, comecei também a oferecer uma boa quantia como recompensa para quem me conseguisse o contato de algum potenciam comprador, tive alguns retorno perguntando sobre o assunto, e eu falava que era um rico empresário querendo vender terras na Amazona, ai eles procuravam saber os meus dados para checagens e também queriam a recompensa adiantada e eu não tinha recursos para pagar adiantado, então mudando o foco da pesquisa, passei a pesquisar em site de astronomia tentando descobrir se é possível localizar o local da queda de objetos vindo do espaço, sei que eles conseguem rastrear o retorno de naves quando retornam do espaço agora meteoros e outros objetos tenho dúvidas, geralmente se eles tem algum interesse no objeto eles podem acompanhar a queda e local do objeto com uma margem de erro geralmente em torno de até uns cem quilômetros de raio, e como esse objeto emitia luz talvez eles tenham acompanhados e é por isso a presença dessa equipe de buscas, toda essa distância me dá uma certa folga pois essa abrangência atingi pelo menos cinco municípios da região. Retornando ado interior na segunda-feira fui direto para o terreno, um animal da minha criação, um carneiro, quebrou uma perna, quando isso acontece o animal é abatido e a carne aproveitada, foi ai então que me correu uma outra ideia, ao invés de abater o animal da maneira tradicional para o consumo, resolvi aplicar uma injeção de cloreto de potássio na veia do animal, uma pequena dose é suficiente para uma morte instantânea, quando o animal já estava sem vida e com ajuda de uma seringa retirei todo o seu sangue, extrair a sua língua e fiz dois pequenos orifícios no pescoço com um objeto perfurante quente em brasa e que deixou com um aspecto de uma morte estranha, misteriosa, em seguida, a noite, levei para próximo de uma estrada de um município vizinho, queimei o mato no local, em círculo e coloquei o animal sem sangue, sem a língua e com uma mordida no pescoço. No dia seguinte fui para a venda para me inteirar das notícias e o chupa-cabras já era a notícia principal, soube até que os tais homens do helicóptero foram ao local e recolheram o animal para verificação, era o assunto do momento, saiu até na imprensa local, fotos se espalhavam nas redes sociais, muitas teorias surgiram e outras vítimas também teve uns que até avistaram o chupa-cabras, esse acontecido tirou um pouco o foco do nosso município, a areia quente era outro fenômeno que tinha que lidar pois já era notada pelo meu ajudante.









14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo